COM A PALAVRA SITE BAHIA NOITE E DIA

em 02 de março de 2018

Pense num paraíso de águas cristalinas, mornas e de poucas ondas. Águas que de acordo com o sol e a natureza podem estar azul turquesa ou verde esmeralda. Imagine que nesse pedaço encantado de Bahia haja ainda algumas piscinas naturais e que perto dali tem uma vila bem rústica, habitada por uma gente humilde, mas carinhosa, a maioria pescadores.

Um lugar para ir e esquecer do mundo. Onde não existem bancos nem cartão de crédito. Onde come-se divinamente deliciosas moquecas de camarão e lagosta e um peixe grelhado, pescado ali mesmo e sem exploração. Pronto: você está em Garapuá, uma extensão de Morro de São Paulo, na Bahia.

De cara, vá com espírito preparado. Seu foco é a natureza. Nada da badalação e agito de locais como Guaibim, a própria Morro de São Paulo, Itacaré ou Barra Grande. Essa espécie de “Caribe Baiano” pela sua extrema beleza, fica no Arquipélago de Tinharé, com aproximadamente dois quilômetros de extensão, envolvida pela natureza exuberante da Mata Atlântica e meio que escondida dos olhos dos turistas.

Um verdadeiro refúgio, depois de curtir todas as badalações e agitos em Salvador ou nas várias praias famosos do litoral baiano. Garapuá combina silêncio com uma beleza estonteante. Deserta na maior parte do ano, a praia fica escondida por morros revestidos pela Mata Atlântica, manguezais e um imenso coqueiral ornado por areia branca e fina e um mar convidativo de águas tranqüilas e cristalinas. Um convite a um mergulho ou a deitar numa poça e deixar o tempo passar.

Sem a mesma infraestrutura turísticas dos locais mais badalados do Baixo Sul, Garapuá conta com poucas pousadas e restaurantes. Tudo é mais simples, porém aconchegante. O local é sinônimo de sossego durante todo o ano, apesar de estar perto do agito de Morro de São Paulo, a leste, após a Quinta Praia. Por isso não pense em encontrar hotéis de luxo na localidade. O que existem são lugares com um nível básico de conforto e com estilo rústico. Algumas casas de aluguel podem ser a solução para uma temporada por lá.

Próximo a praia está uma pequena vila de pescadores, onde vivem apenas nativos que sobrevivem basicamente da pesca e estão aos poucos aprendendo a conviver com o turismo A principal atração na praia e no vilarejo são as belezas naturais e a hospitalidade de seu povo. A vila, contudo, conserva o ar bucólico e a rusticidade em suas ruas de terra com modestas casas e um comércio simplório.

Uma surpresa para os visitantes: em alto mar, na maré baixa, existem bancos de areia que formam pequenas piscinas naturais com águas transparentes e uma bela vida marinha. O bom nas piscinas é mergulhar e apreciar os diversos peixinhos coloridos que cercam os visitantes. Outra atração nas piscinas de Garapuá é um bar flutuante que fica em pleno mar e serve vários petiscos e bebidas.

O que fazer – Na pequena vila de pescadores de Garapuá não existem bancos ou caixas eletrônicos. O pequeno comércio não trabalha em sua maioria com cartão de crédito, portanto, é preciso levar dinheiro. A maior parte dos turistas chega com os barcos e lanchas que saem dos passeios de Morro de São Paulo.

O grande destaque é a culinária, boa e com preço justo. Nos restaurantes que ficam na praia e nas ruas do povoado, há uma grande oferta de frutos do mar e uma saborosa comida caseira. São pouco mais de cinco estabelecimentos, localizados na beira da praia, que oferecem as delícias típicas da gastronomia da Bahia.

Como chegar – Todo esforço vale à pena pela beleza do local. Para chegar até Garapuá o acesso é feito através dos passeios que saem de Morro de São Paulo ou de Valença. Para quem sair de Salvador, existem traslados por terra, mar ou ar. Do aeroporto Luis Eduardo Magalhães (em Salvador) existem táxis aéreos que fazem o traslado até Morro de São Paulo em no máximo 20 minutos.

Outra forma de ir de Salvador para Morro de São Paulo é via marítima através dos catamarãs e lanchas que saem diariamente em vários horários do Terminal Marítimo de Salvador. O tempo da viagem é de 1h40 (lanchas) e 2h (catamarã). forma pode chegar até 4 horas, dependendo do movimento.

A partir de Morro de São Paulo o acesso até Garapuá pode ser feito pelo mar , com barcos que fazem passeio pelas ilhas e param nas piscinas naturais de Garapuá, com tempo de uma hora de viagem, ou terra através de carros com tração ou trator a partir da segunda praia de Morro de São Paulo. Nesse caso, o tempo da viagem é em média de 1h30.

 


PARCEIROS